sábado, junho 01, 2013

Avenged Sevenfold



Avenged Sevenfold é uma banda de Huntington Beach, Califórnia formada em 1999. Alcançaram grande reconhecimento com o lançamento do álbum City of Evil em 2005, na qual incluia singles como Burn It Down, Bat Country, Beast And The Harlot e Seize The Day. O sucesso continuou com Avenged Sevenfold, de 2007, com os singles Critical Acclaim, Almost Easy, Afterlife, Scream e Dear God.
Surgiram com um som metalcore em seus dois primeiros álbuns, mas mais tarde mudaram seu estilo para uma sonoridade mais hard rock com o lançamento de City of Evil. No final de 2009 a morte do baterista e membro fundador da banda, Jimmy “The Reverend” Sullivan foi anunciada.

A banda foi formada por M. Shadows e Zacky Vengeance. Eles eram amigos e estudavam na mesma escola e suas bandas anteriores, Successful Failure e Mad Porno Action respectivamente não tinha dado certo. Logo convidaram The Rev e Matt Wendt para completar a formação de sua nova banda. O Avenged Sevenfold (também conhecido como A7X) usa nomes artísticos pois estes nomes definem bem o que eles se transformam ao vivo. Durante os anos de 1999 e 2000, inúmeras demos foram gravadas como The Art Of Subconscious Illusion e We Come Out At Night. O primeiro álbum, Sounding The Seventh Trumpet foi gravado quando os integrantes tinham apenas dezoito anos em 2000 e originalmente foi lançado pela sua primeira gravadora, Good Life Recordings em 2001. Sendo que a música Streets foi escrita por M.Shadows e a banda da qual ele participou antes do Avenged, a Successful Failure. Após o guitarrista solo, Synyster Gates ter se juntado à banda, a faixa To End The Rapture foi regravada com Gates tocando e o álbum foi relançado pela Hopeless Records em 2002. Nessa época fizeram vários shows importantes, com bandas como Shadows Fall e Mushroomhead e tocaram na Take Action Tour. Após isso, Johnny Christ se juntou à banda substituindo Dameon Ash, sendo o seu quarto baixista e lançaram o álbum seguinte Waking The Fallen pela Hopeless Records em agosto de 2003. Este disco teve um bom reconhecimento pela revista Rolling Stone e pela Billboard e é considerado um dos melhores álbuns de metalcore da história, além de ter vendido três mil cópias na primeira semana de lançamento. Ganharam ainda mais reconhecimento tocando na famosa turnê, Vans Warped Tour de 2003. Em 2004 voltaram a tocar na Warped Tour e com o contrato para assinar com a Warner Bros. Records, decidiram lançar o clipe de Unholy Confessions no mesmo ano, com intuito de promover a banda para trabalhos futuros. Este clipe foi destaque na MTV2’s Headbanger’s Ball.



Biografia Completa em: http://www.lastfm.com.br/music/Avenged+Sevenfold/+wiki




segunda-feira, fevereiro 18, 2013

Avril Lavigne


Nascida em 27 de setembro de 1984 na cidade de Napanee, Canadá, Avril Ramona Lavigne desde pequena já era ligada com a música, cantando em corais (principalmente de igrejas) e em pequenos festivais. Aos 12 anos ela compôs os primeiros acordes na guitarra, aos 14 anos escreveu a sua primeira música que era chamada Can’t Stop Thinking About You. Ainda na adolescência Avril ganhou um concurso para cantar com a estrela pop Shania Twain. Aos 16 anos mudou-se para Nova Iorque a pedido do seu empresário Cliff Fabri que conseguiu uma audição com um dos diretores da Artista. Após uma audição de apenas 15 minutos Avril conseguiu um contrato para o lançamento do seu cd.
Começou-se então um trabalho com alguns compositores, mas nada foi concretizado pois Avril queria algo mais rock, não baladas country como esperavam os executivos da artista. Ela começava a ter influências de artistas como Alanis Morissette, Goo Goo Dolls e Blink 182. Mudou-se então para Los Angeles para trabalhar com um grupo de compositores conhecidos como The Matrix e com Clif Magness.
Let Go, seu álbum de estréia foi lançado em junho de 2002 e dias depois o single Complicated foi lançado que logo fez sucesso na MTV. Em agosto Avril ganha o prêmio de artista revelação no Vídeo Music Awards 2002. Em setembro Let Go ganha disco de platina triplo e o baixista London sai para a entrada de Charles Moniz. Seu segundo single Sk8er Boy é lançado. No início de 2003 Lavigne recebe 5 indicações ao Grammy. Em fevereiro Let Go ganha o disco de platina quíntuplo e é lançado mais um single de nome I’m With You e em março Losing Grip é lançado também como single (o último do álbum Let Go).






















Biografia completa: http://whiplash.net/materias/biografias/039283-avrillavigne.html#ixzz2LHnx9gSL

segunda-feira, janeiro 14, 2013

Mandem suas sugestões!

Galera que acessa nosso blog, precisamos das sugestões de vocês, afinal esse blog foi feito pra vocês, então peço novamente, deixem suas ideias, e sugestões de materia ou de biografia, que logo, logo, colocarei para vocês, ok?

Abraços fraternais

Grégory Silva Rodrigues - Dono do RockBlog

terça-feira, dezembro 18, 2012

Static-X


Static-X é uma das bandas do cenário americano do Metal Industrial do fim da década de 90.

O vocalista Wayne (com seu estranho cabelo montado à base de muita cola) é dá cidade de Shelby, Michigan. O Baterista Ken Jay da cidade de Jamaica, Illinois. Ambos são os fundadores da banda e se encontraram em Chicago. Ken tocava em uma banda de metal underground e trabalhava em uma loja de discos. Wayne tinha uma banda gótica, chamada Deep Blue Dream. A banda dividia o local de ensaios com Smashing Pumpkins.

Wayne foi apresentado a Billy Corgan, que trabalhava junto a Ken. Ken entrou para a banda Deep Blue Dream. Com os constantes fracassos, troca de músicos e falta de ajuda no cenário metal, ele decidiram mudar-se para Los Angeles, onde estava ressurgindo o cenário hard rock.

Pouco depois da chegada a Los Angeles, Osaka Koichi Fukuda viu um panfleto da dupla. "Ele chegou no local do nosso ensaio segurando o panfleto e disse com convicção que seria nosso novo guitarrista" diz Wayne.

Tony Campos (único real californiano na banda) tocava em bandas locais de death metal antes de entrar no Static-X.

O objetivo da banda sempre foi simples; fazer música que pudesse ser "energizada" com efeitos eletrônicos. Criaram um som único que a própia banda denomina de "rhythmic trancecore". A mistura deu certo. O grupo foi contratado pela Warner Bros.


Biografia completa em: http://whiplash.net/materias/biografias/039102-staticx.html#ixzz2FRMKrQEy




sábado, dezembro 15, 2012

Cazuza


No início dos anos 80, um garoto dourado do sol de Ipanema surpreendeu o cenário musical brasileiro. À frente de uma banda de rock cheia de garra, começou a dar voz aos impulsos de uma juventude ávida de novidades. Ele, Cazuza, era a grande novidade.

O Brasil saía de um longo ciclo ditatorial e vivia um clima de democracia ainda incipiente, mas suficiente para liberar as energias contidas. Cazuza desempenhou um papel importante nesse processo. E quando as misérias e mazelas nacionais foram se desnudando, ele respondeu sem meias palavras.

A expressão de sua repulsa diante desse quadro só pode ser comparada à coragem com que lutou por sua vida, no enfrentamento público da Aids. Lições de indignação e de dignidade; de como levar a vida na arte e "ser artista no nosso convívio".

No pouco que viveu, Cazuza deixou uma obra para ficar. Bebeu na fonte da tradição viva da MPB para recriar, num português atual e espontâneo, cheio de gírias, e num estilo marcadamente pessoal, a poesia típica do rock. Com justiça, foi chamado de o poeta da sua geração.


Continue lendo em: http://whiplash.net/materias/biografias/038564-cazuza.html#ixzz2F5pMXJQi



quinta-feira, dezembro 06, 2012

Cássia Eller

Filha de um sargento pára-quedista do Exército e de uma dona-de-casa, seu nome foi sugerido pela avó, devota de Santa Rita de Cássia.
Nascida no Rio de Janeiro, aos 6 anos mudou-se com a família para Belo Horizonte. Aos 10, foi para Santarém, no Pará. Aos 12 anos, voltou para o Rio. O interesse pela música começou aos 14 anos, quando ganhou um violão de presente. Tocava principalmente músicas dos Beatles. Aos 18, chegou a Brasília. Ali, cantou em coral, fez testes para musicais, trabalhou em duas óperas como corista, além de se apresentar como cantora de um grupo de forró. Também fez parte, durante dois anos, do primeiro trio elétrico de Brasília, denominado Massa Real, e tocou surdo em um grupo de samba. Trabalhou em vários bares (como o Bom Demais), cantando e tocando. Despontou no mundo artístico em 1981, ao participar de um espetáculo de Oswaldo Montenegro.
Um ano mais tarde, foi para Minas Gerais, onde trabalhou como servente de pedreiro. "Fiz massa e assentei tijolos", contava. Na escola, não chegou a terminar o ensino médio, por causa também dos shows que fazia, não teria tempo para estudar.[3]
Caracterizada pela voz grave e pelo ecletismo musical, interpretou canções de grandes compositores do rock brasileiro, como Cazuza e Renato Russo, além de artistas da MPB como Caetano Veloso e Chico Buarque, passando pelo pop de Nando Reis e o incomum de Arrigo Barnabé e Wally Salomão, até sambas de Riachão e rocks clássicos de Janis Joplin, Jimi Hendrix, Rita Lee, Beatles, John Lennon e Nirvana.

Biografia completa em: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1ssia_Eller


 

sábado, dezembro 01, 2012

Raul Seixas

Maria Eugênia Pereira dos Santos era uma garotinha bonita quando conheceu Raul Varella Seixas. Ela tinha sete anos, e ele nove. O namoro, que durante anos ficou somente na troca de olhares e bilhetinhos, culminou no casamento dos dois, às 17:30h do dia 16 de setembro de 1944, na Igreja do Bonfim, em Salvador, na Bahia. Nove meses após a união de Raul e Maria Eugênia, nascia o primeiro filho do casal, Raul Santos Seixas, em 28 de junho de 1945.

“Nasci baiano mesmo, na av. 7 de setembro, número 108, que é a avenida principal de Salvador. Hoje estão comendo bacalhau no quarto onde nasci.” brincaria Raul, mais tarde, referindo-se ao Restaurante Português, que funciona hoje, na casa em que nasceu.

A vasta biblioteca de seu pai era seu brinquedo favorito. E foi daí que veio o gosto pela palavra e a miopia precoce. Vivia trancado no quarto devorando o “Livro dos Porquês” do “Tesouro da Juventude”. Inventava histórias fantásticas que, transformadas em gibis, e com desenhos do próprio Raul, eram vendidos ao irmão caçula, Plininho (Plínio Santos Seixas, três anos mais novo). Melô era o personagem central de suas histórias, um cientista louco que viajava no tempo com figuras históricas, Deus e o Diabo.


Continue lendo em: http://www.lastfm.com.br/music/Raul+Seixas/+wiki






quarta-feira, novembro 28, 2012

Dead Fish

Dead Fish é uma banda de hardcore do Espírito Santo, Brasil.

Tudo começou em 1991 com um grupo de amigos que andavam de skate em Vitória. Mesmo sem saber tocar instrumento algum, resolveram montar uma banda e tocar músicas para andar de skate, principalmente no estilo hardcore.

Em 1995 lançaram a demo tape Re-Progresso e três anos depois, seu primeiro álbum chamado Sirva-se pelo selo capixaba Lona Records. Após o primeiro álbum, lançaram Sonho Médio em 1999 e Afasia em 2001. Giuliano, até então guitarrista, resolveu deixar a banda, no mesmo ano lançaram o Projeto Peixe Morto e já em 2002 foi lançado o EP 2002, mas que foi gravado em 2000. Alguns guitarristas de bandas amigas do Dead Fish foram chamados para quebrar um galho, entre eles: Alexandre a.k.a. Capilé (Sugar Kane), Philippe (Reffer) e Tiago a.k.a. Hóspede (Aditive).

Em 2003 gravaram o álbum Ao Vivo no Hangar 110 em São Paulo. Murilo, o outro guitarrista do Dead Fish, deixa a banda que ameaça acabar. No fim do mesmo ano, receberam uma proposta da Deckdisc.

Matéria completa em: http://www.lastfm.com.br/music/Dead+Fish/+wiki


sexta-feira, novembro 23, 2012

Metallica

Metallica é uma banda de Thrash Metal fundada em 1981 em Los Angeles, Califórnia e fazem parte do denominado Big Four Of Thrash juntamente com Megadeth, Slayer e Anthrax.

Lars Ulrich, que tinha se mudado da Dinamarca aos Estados Unidos na companhia do pai, um músico de Jazz, estava muito empolgado com a New Wave Of British Metal e bandas como Iron Maiden e Diamond Head, levando estes conceitos para os EUA. Lá ele conheceu James Hetfield e Dave Mustaine, e chamaram também o baixista Ron McGovney. Em 1982, assistindo a um show dos Trauma, eles vêem Cliff Burton, e o chamam para substituir Ron. Cliff aceita e aí nasce o Metallica com sua primeira demo, Hit the Lights lançada para a coletânea Metal Massacre. No começo de 1983, expulsam Dave por problemas com álcool e drogas. Kirk Hammett — então guitarrista dos Exodus — foi chamado para o substituir.

Primeiros Anos

O nome surgiu quando o produtor musical de Heavy Metal Ron Quintana pediu à Lars para ajudá-lo a escolher um nome para sua nova revista, que destinava-se a promover bandas de Metal dos Estados Unidos e Reino Unido. Entre uma lista de Quintana de vários nomes que incluía “ Metallica”.

A música era inspirada em outras bandas como Led Zeppelin, Black Sabbath, Motörhead, Diamond Head, Saxon, Thin Lizzy, Iron Maiden, Venom e Mercyful Fate, entre outras, em sua maioria britânicas. Outras influência incluíam bandas de Punk Rock como Misfits, Zeroption e The Ramones, e o Hardcore Punk do Discharge.

Falecimento, Tragédia

Em 27 de Setembro de 1986, durante a parte uropéia da turnê Damage Inc., Cliff Burton faleceu perto de Ljungby, Suécia (em uma viagem entre Estocolmo e Copenhague) quando o ônibus da turnê deslizou na rodovia congelada e tombou. A morte de Burton resultou em questionamentos sobre o futuro da banda. Por fim os três membros remanescentes decidiram continuar o trabalho, e com o apoio da família de Burton começaram a busca por um substituto. O corpo foi cremado e as cinzas lançadas em Maxwell Ranch. Na cerimônia, foi tocada a música Orion (um instrumental) do Master of Puppets. O Metallica tocou esta música em um medley em 1992 em San Diego na Califórnia junto com outras músicas, entre elas My Friend of Misery e citações a (Anesthesia) Pulling Teeth do álbum Kill ‘Em All.


quarta-feira, novembro 21, 2012

Gritando HC


O Gritando HC foi formado oficialmente em 1995, mas desde 1992 já estavam criando os primeiros acordes nas garagens dos amigos, como já é de fato uma tradição das bandas vinculadas ao mundo do Rock, com o inspirador principal Donald junto com a Lê e algum tempo depois o Ritchie, baixista da banda. Sempre em busca de seus ideais e lutando contra as dificuldades habituais de uma banda independente, mas nunca deixando essas dificuldades abater, muito contrário disso, as dificuldades sempre foram vistas como superação e cada vez mais o Gritando HC se fortificava e com muita personalidade foram marcando e registrando a sua história no underground paulistano, o resultado da dedicação do Gritando HC foram as quase 1000 demo-tapes vendidas. O primeiro cd foi lançado em dezembro de 97 e mesmo com uma gravação de baixa qualidade teve uma ótima aceitação no mercado, e o que valorizou a banda foram as letras diretas, e mostrando cada vez mais seu valor com uma postura de forte presença no palco compactuando com o público presente em cada show e as músicas já eram conhecidas pelos fãs devido ao trabalho de divulgação feito através das demos. A banda já participou de programas de TV como Musikaos, Ultra-Som MTV, alguns programas do João Gordo e outros programas de rádio em Fortaleza, Recife, a Rádio Brasil 2000 aqui em São Paulo, Santos e de outras cidades do país. Foram convidados a dividir o palco com bandas nacionais e internacionais de suma importância que contribuíram e fizeram história por várias gerações e que influem até hoje como Ratos de Porão,Misfits, Olho Seco, Varukers, Dead Kennedys, shows memoráveis que nunca serão esquecidos. Seu 2° cd foi o Ande de Skate e destrua, este já com uma gravação de boa qualidade, mantendo a mesma energia do primeiro cd, que só veio a acrescentar a qualidade do Gritando HC e mostrando a preocupação da banda também com assuntos questionáveis de grande importância tanto de problemas internos que o país enfrenta das causas indígenas, desmatamentos e também sobre a origem de alimentos transgênicos, mesmo de uma forma humorada que é uma das características do Gritando HC, mas trazendo um tópico importante e um problema que vivemos até hoje. Em setembro de 2001 o idealizador, líder principal do Gritando HC, o Donald veio a falecer um golpe da vida, mas a atitude da banda foi continuar e não desistir pois quem conviveu com ele por mais de uma década conhecia-o muito bem: uma pessoa de coragem, de fibra, que amava e se empolgava com a vida e que a melhor forma de homenageá-lo era continuar e mostrar o quanto aprendemos nesses anos juntos o valor da vida e de marcar uma história, e isso era o que o Donald queria pro Gritando HC, com isso a Lê também desde o inicio da banda compactuando com os mesmos ideais do Donald, que bem mais de companheira de banda, dividindo os mesmos ideais, tinham uma relação sólida de 10 anos, sempre com o apoio do Ritchie, o amigo fiel e eterno que dividem os mesmos ideais sempre, junto com o apoio dos demais companheiros de banda que também eram muito importantes. O Gritando HC que cada vez conquistava mais público, esse por sua vez os recebendo com carinho e respeito e dando muito apoio e força para o grupo, pois os fãs sabem e sentem que também sempre se fez presente nos shows, com muitos até acompanhando a banda de perto desde o início.

Continue lendo em: http://whiplash.net/materias/biografias/065342-gritandohc.html#ixzz2CtXxrYQg